sexta-feira, 10 de outubro de 2014

O CORRUPTO PODE SER VOCÊ

Henrique Faria

Quem sou eu para tecer qualquer crítica, por menor ou mais branda que seja, a você que votou na Dilma? Por enquanto vivemos numa democracia, onde ainda podemos digitar no momento da escolha o nome da pessoa em quem nós acreditamos ter estatura moral para dirigir este país. (É bem verdade que nem sempre a gente digita o número do nosso candidato e aparece a foto dele na maquininha, como aconteceu numa seção eleitoral da Mooca, em São Paulo, quando o eleitor digitou um número diferente de 13 e apareceu o 13... Mas isso é um acidente de percurso.)
Pois bem. Para ser sincero, primeiro, quando eu coloco a minha opinião para a apreciação pública, não tenho a menor intenção de convencer ninguém. Segundo, para ser mais sincero ainda, não é fácil, agora que estão na disputa o Seis e a Meia Dúzia, eu externar a minha preferência por um ou por outro.
O que está em jogo não são os candidatos. Ou melhor, nenhum dos dois candidatos está em jogo. Trata-se de uma eleição, que é uma ferramenta de transformação, em que podemos mudar a cultura política deste país, infelizmente, tomada pela prática da corrupção, do deboche de alguns poucos recalcados que conseguiram o poder e veem nele a possibilidade de desforra pelo que passaram, pela fome, pelo êxodo, pelo desemprego, pelo sub-emprego, pela perseguição, pela tortura. A elite lulopetista é isso: uma corja de recalcados que se deram bem. Os petistas, não! É injusto generalizar o maquiavelismo lulopetista. É injusto endiabrar pessoas que têm história de luta, mas que no momento estão equivocadas, como eu já estive, quando carreguei bandeiras pela luta de classes, pela ditadura do proletariado e até pela luta armada.
O que me surpreende é constatar que há esse número absurdo de brasileiros a quem o Mensalão não fez nem cosquinha, e tampouco os mais de duzentos escândalos graves protagonizados por integrantes do governo do PT.
Mas, num país em que a corrupção é cultural e se aloja nos mais prosaicos gestos dos cidadão brasileiros, não se pode esperar outra coisa. Há um número astronômico de brasileiros que não se envergonham de jogar papel de sorvete na rua, copinho de yogurte, falsificar carteirinha de estudante, estacionar em vaga de idoso ou deficiente físico sem sê-lo (sem selo do Ciretran e sem ser idoso ou deficiente), oferecer propina a policiais para evitar multas, não dar e não exigir nota fiscal, não declarar Imposto de Renda, aceitar troco errado, roubar ligações de TV a cabo, furar fila, comprar CDs, DVDs, jogos e programas piratas, comprar produtos contrabandeados.
Pode ter certeza, meu amigo, se você não é um corrupto prático é possível que seja um corrupto cultural. Você nem percebe. Mas pode fazer parte de um contingente de brasileiros a quem a corrupção institucionalizada perpetrada nos gabinetes do governo e das estatais não toca e não sensibiliza.
A corrupção tem duas faces: a do corruptor e a do corrupto. Se você não faz as coisas erradas, mas aceita quem as faça, o corrupto é você!

Um comentário:

  1. Took me time to read all the comments, but I really enjoyed the article. It proved to be Very helpful to me and I am sure to all the commenters here! It’s always nice when you can not only be informed, but also entertained. Poly Viscose Melange

    ResponderExcluir